Prefeitura Municipal de Capim Branco

Você sabia?
Imprimir Email

Bens Tombados

Turismo

por Comunicação

18/03/2013 16:33

Turismo

Carnaval

Carnaval

A pequena cidade interiorana é acolhedora, caracterizada por seus moradores alegres, de risada fácil, capazes de fazer piadas de suas próprias mazelas, com muitos casos engraçados que dão origem a um vocabulário especial. Foi conhecida por muito tempo como a “Terra do Alho”, no período em que o cultivo desse produto abastecia o mercado mineiro e de outros estados. Essa atividade alavancava a economia e impulsionava as manifestações culturais e o turismo através da realização da Festa do Alho e dos bailes que atraíam pessoas de toda a redondeza.

Atualmente, Capim Branco destaca-se pela agricultura orgânica e por suas festas populares, dentre as quais, o carnaval de época animado pelo tradicional “Boi da Manta” e os desfiles das Escolas de Samba.

Encontro de Carros Antigos

Encontro de Carros Antigos

No âmbito cultural, a música está sempre presente, desde tempos remotos, quando havia as famosas serenatas. Mantendo viva essa tradição, a centenária Corporação Musical “Nossa Senhora da Conceição” é patrimônio do povo capim-branquense, celeiro de novos talentos e está sempre abrilhantando as festividades locais.

O Encontro de Carros Antigos, criado no ano de 2010, devido ao grande sucesso, já faz parte do calendário de eventos de Capim Branco. O Encontro conta com a participação de centenas de carros antigos vindos de várias cidades mineiras, trazendo grande número de visitantes que aproveitam para conhecer a cidade. O comboio desfila pelas principais ruas do município e em seguida acontece a exposição dos veículos aberta a todos os interessados.

 

Pontos Turísticos

Igreja Matriz

Igreja Matriz

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição – Bairro Centro

No início do século XX, Capim Branco teve a primeira Capela de Nossa Senhora da Conceição, construída por filhos da terra com ajuda de fazendeiros da região. Na década de 40 houve uma tempestade e caiu um raio atingindo a igreja, trincando partes de suas paredes e provocando um incêndio. Por volta do ano de 1946, viu-se a necessidade de demolir a antiga capela, pois as estruturas estavam muito abaladas. Após uma reunião entre as lideranças e o pároco, resolveram jogar tudo abaixo, aproveitando somente as telhas.

Iniciaram os trabalhos para construir uma igreja maior tendo em vista o aumento da população. Foi criada uma comissão e ouve participação de todo o povo capim-branquense na construção e com muita luta, a igreja foi reerguida.

Em março de 2004 a igreja passou por uma reforma geral e Capim Branco tem hoje uma belíssima Igreja Matriz localizada no centro da cidade, em ótimo estado e com tamanho suficiente para comportar a comunidade cristã, proporcionando conforto e bem-estar para todos os paroquianos nas realizações das cerimônias religiosas.

Capela de Nossa Senhora da Conceição e Cruzeiro - Bairro Matos

Capela e Cruzeiro - Matos

 

Capela de Nossa Senhora da Conceição e Cruzeiro – Bairro Matos de Cima

O bairro Matos de Cima situado na zona rural de Capim Branco conta com grandes riquezas históricas como a capela centenária de “Nossa Senhora da Conceição” e o Cruzeiro, localizado na praça em frente a ela, que segundo tradição oral, foi produzido e transportado para o local por escravos.

Cruzeiro do Barão

Cruzeiro do Barão

 

Cruzeiro do Barão – Bairro Jardim Planalto

O Cruzeiro do Barão se localiza no bairro Jardim Planalto e devido a sua posição geográfica oferece uma vista panorâmica da cidade. Foi construído por volta do ano de 1910 em terras pertencentes, na época, a um homem chamado “Chico Barão”, que pretendia fazer uma homenagem à Santa Cruz, símbolo da religiosidade dos antigos moradores.

O Cruzeiro foi levantado com toras de aroeira, retiradas do terreno dele e foram levadas para o alto do morro. Segundo relatos, no dia em que a cruz foi erguida, houve uma grande festa, abrilhantada pela Corporação Musical Nossa Senhora da Conceição a qual também se iniciava naquele ano.

O Cruzeiro do Barão recebe visitações o ano todo, especialmente em duas datas: 3 de maio, Dia de Santa Cruz e Sexta-Feira da Paixão, Via-Sacra saindo da Igreja Matriz, às quatro horas da manhã.

Tendo uma importância histórica fundamental para a formação da identidade de Capim Branco, o Cruzeiro do Barão sobreviveu ao tempo, foi tombado como Patrimônio Municipal no ano de 2009 e recentemente foi restaurado.

Cruzeiro do Morro - Boa Vista

Cruzeiro do Morro - Boa Vista

 

Cruzeiro do Morro – Povoado Boa Vista

O Cruzeiro do Morro foi construído com madeiras levadas pelos escravos há cerca de duzentos anos. Nessa época, o lugar era habitado por índios e escravos trazidos por um português chamado Simeão Lopes, que era dono de todas as terras.

Atualmente, o Cruzeiro localizado em uma área particular, é muito visitado por fazer parte de uma bela paisagem.

 

Auditório Municipal

Auditório Municipal

Auditório Municipal “José Teodoro Flores”

A fachada da antiga sede da Associação do Salvador Futebol Clube, tombada como patrimônio histórico municipal, foi restaurada e o prédio totalmente reformado, sendo transformado no moderno Auditório Municipal “José Teodoro Flores – Ribita”. Palco de variadas apresentações artísticas, constitui-se em um equipamento cultural que proporciona entretenimento e arte à população.

 

Sede da Corporação Musical Nossa Senhora da Conceição

A Corporação Musical Nossa Senhora da Conceição, conhecida como “Banda”, foi fundada em 1910. A iniciativa foi de Ulisses Alves Diniz, sapateiro local e do diretor do Grupo Escolar, o Mestre Álvaro Novais Filho, que adquirindo alguns instrumentos no bairro de Vera Cruz, do município de Pedro Leopoldo, montaram um pequeno curso ministrando aulas de música aos interessados.

Sede da Corporação Musical

Sede da Corporação Musical

Em 09 de março de 1947, a Corporação solicitou “aos órgãos competentes” a doação de um terreno público para a construção de um prédio. João Baptista Teixeira, chefe do Serviço de Fazenda Municipal doou um terreno medindo 12 por 15 metros e a obra iniciou-se imediatamente à doação.

Recentemente, a Sede da centenária Corporação, importante referência cultural e histórica da cidade, passou por uma restauração recuperando as suas características originais.

 

Museu Histórico de Capim Branco

Museu Histórico

Museu Histórico

O Museu Histórico de Capim Branco é sediado na casa mais antiga da cidade, conhecida popularmente como “Casarão”, que foi totalmente restaurada com a finalidade de perpetuar a memória e a identidade da comunidade.

O imóvel apresenta arquitetura do período do império, época do coronelismo e dos tropeiros. Foi prisão de escravos, ponto de descanso e pernoite de tropeiros e viajantes que se direcionavam a Diamantina, Sabará, Ouro Preto e cidades vizinhas. Nos séculos seguintes, foi comércio de carnes, barbearia e mercearia. Mais tarde, tornou-se propriedade e moradia da família de Antônio José da Silva. O casarão ficou sem moradores por longos anos, mas a família sempre cuidou dele. Com o passar do tempo o imóvel deteriorou-se e no ano de 2009 os herdeiros o venderam. No mês de outubro de 2010, a Administração Municipal e o Conselho de Patrimônio fizeram a aquisição e tombamento do mesmo como Patrimônio Histórico Municipal, a fim de conservá-lo para as gerações futuras.

Inaugurado no mês de dezembro de 2013, o Museu possui um grande acervo, com quadros e fotografias antigas referentes à urbanização da cidade, peças que compõem o acervo do período dos tropeiros, da escravidão, da história do casarão, das famílias da cidade, cédulas de dinheiro, peças antigas e mais atuais que mostram a evolução de objetos como ferro em brasa e elétrico, máquinas fotográficas e de escrever, rádios, dentre outras peças, que marcaram a evolução da humanidade.

Possui também em seu acervo, como patrimônio cultural material, um veículo modelo Chevrolet Impala ano 1960, adquirido através de Projeto Turístico Cultural, que participa de eventos culturais, exposições em geral, com o objetivo de divulgar as ações realizadas pela instituição.

Nas salas de exposições temporárias, trabalhos de variados temas de artistas locais e da região são expostos com a finalidade de incentivar a arte.

Uma curiosidade do imóvel é o quarto sem janela, a “alcova das virgens”. Para resguardar a pureza das moças, elas eram trancadas nesse quarto, podendo sair apenas na manhã seguinte, para preservá-las dos visitantes e tropeiros que pernoitavam na casa.

Durante várias décadas o “Casarão” foi cenário de manifestações religiosas, em homenagem a Santo Antônio, que foram realizadas até o ano de 2002, pois no interior do imóvel existe um oratório que abriga uma imagem do santo e durante o processo de restauração esse foi conservado. A coordenação do Museu retomou a antiga tradição e todos os anos, no dia 13 de junho, moradores se reúnem para rezar diante do oratório.

Aos domingos é realizada feira de artesanato e culinária em frente ao Museu e também apresentações de atividades culturais na varanda.

 

Venha conhecer nosso museu e se surpreender com nossa história, nosso acervo e nosso atrativo histórico patrimonial!

 

Endereço:

Rua Silvério José da Silva, 95 – Centro, Capim Branco/MG.

Expediente de quarta-feira a domingo, de 09:00 às 17:00 horas e sábado de 09:00 às 12:00 horas.

 

Contatos:

(31) 3713-2198

museu@capimbranco.mg.gov.br

www.capimbranco.mg.gov.br

 

 

Referência: Livro “Capim Branco, Minha Cidade, Meu Patrimônio”



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página